🏆🤖Clique aqui e participe da pesquisa Panorama da Inteligência Artificial Generativa no Brasil!
Tendências Digitais no Varejo Brasileiro em 2023

Tendências Digitais no Varejo Brasileiro em 2023

Introdução Se você acompanha o blog da Zappts, viu que nas últimas semanas publicamos sobre as principais tendências tecnológicas para sua empresa em 2023, onde abordamos o tema desde uma perspectiva mais ampla e “cross-mercado”, ou seja, apresentando o que, do ponto de vista tecnológico, impactará os mercados no Brasil e no mundo em 2023. […]

dez 29 , 2022

Início Blog Página Atual
Gestão

Introdução

Se você acompanha o blog da Zappts, viu que nas últimas semanas publicamos sobre as principais tendências tecnológicas para sua empresa em 2023, onde abordamos o tema desde uma perspectiva mais ampla e “cross-mercado”, ou seja, apresentando o que, do ponto de vista tecnológico, impactará os mercados no Brasil e no mundo em 2023. Na presente publicação entraremos em maior detalhe nas tendências desde a perspectiva do mercado varejista, responsável por parte significativa do PIB do país. Que o investimento em tecnologia só tende a subir neste mercado, já sabíamos, porém, quais serão os desafios dos gestores de tecnologia do setor varejista brasileiro? Quais são os pontos de atenção que os profissionais de tecnologia deste segmento precisam estar atentos em 2023?

Panorama Geral

Segundo o Dicionário Oxford, a tendência é: “Aquilo que leva alguém a seguir um determinado caminho ou a agir de certa forma”.  Tudo que é projetado como tendência tem como principais objetivos trazer inovação, otimizar algo específico que já existe, gerar escalabilidade e pioneirismo. Por anos os mercados brasileiros copiaram estratégias de países do hemisfério norte, mas nos últimos anos, e cada dia mais, o Brasil vem se tornando um grande protagonista quando o assunto é tecnologia, ditando o ritmo dos mercados e gerando inovação por onde passa.

Pensando nisso, iniciamos este capítulo recordando quais são as top 10 tendências tech para 2023, segundo relatório da Gartner:

1. Sistema imunológico digital (foco em Quality Assurance)
2. Observabilidade aplicada (foco em dados e IA)
3. Gestão de Confiança, Risco e Segurança de IA (AI TRiSM)
4. Plataformas de nuvem adequado ao setor (foco em infraestrutura)
‍5. Engenharia de plataforma (foco na experiência do desenvolvedor)
6. Geração de valor sem fio (foco em APIs, integração e conectividade)
7. Superapps (foco em compossibilidade e UX Design)
8. IA Adaptativa (foco em dados e automação)
9. Metaverso (foco em soluções Web3)
10. Tecnologia Sustentável (foco na continuidade)

Mais detalhes sobre estas tendências podem ser encontradas clicando aqui. Ainda segundo a Gartner, existem 3 principais desafios tecnológicos para geração de resultados de negócios em 2023, independente do mercado que a sua empresa está inserida:

1) Otimizar os sistemas de TI para ter maior confiabilidade, melhorando a tomada de decisões de líderes de tecnologia, orientada por dados seguros e mantendo a integridade do valor dos sistemas em produção. 
2) Acelerar as ofertas nas verticais atendidas, aumentando o ritmo de entrega de produtos digitais com qualidade e permitindo a conectividade em todos os lugares, mesmo aqueles com baixa cobertura de internet.  
3) Permitir a evolução e a mudança dos modelos de negócios, reinventando os papéis e o envolvimento com colaboradores, prospects e clientes, acelerando a experimentação de estratégias inovadores para explorar novos mercados virtuais. 

Agora que já vimos quais são os 3 principais desafios que os gestores de tecnologia precisam enfrentar em 2023, assim como as top 10 tendências tecnológicas para o ano, vamos analisar as tendências para o segmento varejista.

Tendências tech no setor varejista brasileiro

O setor varejista foi um dos segmentos que mais precisou inovar durante a pandemia. Com parte da população em casa, as plataformas digitais tiveram um boom de usuários ávidos pela compra online, mas nem todos os portais estavam preparados para esta enxurrada de acessos. Varejistas e marcas de distintos setores apostaram no online para engajar e alcançar seus clientes.

Os profissionais de tecnologia do setor precisam entender as mudanças impulsionadas por este momento histórico como uma oportunidade para atender melhor o crescente grupo de consumidores digitais.

A Euromonitor International mapeou as cinco tendências digitais que estão redefinindo o setor varejista no mundo, e a seguir apresentamos cada uma delas.

Lojas no Metaverso: a nova experiência de imersão

Se diferenciar em um mercado digital cada vez mais competitivo significa transformar a experiência online tradicional e estática em algo dinâmico e personalizado. A promessa de um mundo virtual mais inclusivo e melhor conectado, conhecido como metaverso, pode transformar ainda mais a maneira de comprar na internet, criando interações imersivas de marcas e potencializando o engajamento com seus públicos. De certa forma, o metaverso é uma extensão das tecnologias de realidade virtual, aumentada e mista em uso hoje, com adição de novas tecnologias como a blockchain.

Empresas varejistas inovadoras continuam a integrar tecnologias de AR/VR em suas experiências de compra. Os profissionais de negócios do setor indicam que os investimentos em 2023 nesta frente  irão se concentrar primeiro no engajamento da marca com seus consumidores, e só depois irão explorar casos de uso mais complexos, como replicar uma experiência física online ou criar uma loja virtual imersiva.

Entrega em minutos: a logística preditiva

A evolução da entrega em termos de timing e personalização só cresce. A redução dos prazos de entrega é fundamental para sustentar o crescimento de um e-commerce. Empresas varejistas e aplicativos de entrega já garantem em alguns casos que o produto comprado seja entregue em menos de 10 minutos, dependendo da região, horário e produto. Para conseguir isso, eles se concentram em localizar as operações e posicionar os produtos mais perto do consumidor final, antes mesmo que um pedido seja realizado.

Esse novo modelo de negócios facilita e agiliza o recebimento de categorias de produtos antes isoladas da onda crescente do comércio eletrônico, como alimentos e bebidas. Os resultados dessa mudança já podem ser percebidos pelos líderes de tecnologia do setor. A porcentagem de consumidores digitais que compraram mantimentos online aumentou de 48% em 2020 para 54% em 2021, de acordo com a Euromonitor. Alimentos e bebidas tiveram um dos maiores saltos nas compras online em comparação com outros produtos.

Emergindo da pandemia, a entrega hiper rápida está moldando a próxima evolução do comércio eletrônico, tornando as compras por impulso mais acessíveis.

E-commerce Verde: redução de custos e visão de longo prazo

O boom do comércio eletrônico posicionou a conveniência e a sustentabilidade em caminhos opostos. Os pedidos online levaram as emissões de carbono nas alturas, com entregas no mesmo dia, aumentando ainda mais o transporte aéreo e gastos energéticos.

Além disso, as entregas online de varejistas e operadoras de serviços de alimentação e moda geralmente vêm em plásticos descartáveis, caixas de papelão, entre outros resíduos sólidos, sendo muitos deles não recicláveis. Além disso, o comércio eletrônico sofre com uma altas taxas de devolução de produtos, causando emissões adicionais e desperdício de embalagens.

Neste cenário, os operadores de comércio eletrônico estão sob pressão para tornar os produtos, embalagens e entregas mais sustentáveis. Em 2021, 46% dos consumidores digitais disseram que a mudança climática terá mais impacto em suas vidas nos próximos cinco anos do que agora, um aumento de quatro pontos percentuais em relação a 2019, de acordo com a pesquisa da Euromonitor.

Espera-se que esse movimento se acelere nos próximos anos,  as vendas de comércio eletrônico tendem a aumentar cada vez mais, assim como a preocupação por questões climáticas. Com as expectativas elevadas de consumidores e demais stakeholders, e a iminência de regulamentação cada vez mais rígida, uma transição para o e-commerce sustentável parece inevitável.

Clique e retire: os benefícios da coleta feita pelo consumidor

As cadeias de suprimentos no Brasil e no mundo estão chegando ao seu limite e a escassez de mão de obra está se intensificando a cada ano. Esses fatores têm um efeito cascata nos prazos de entrega, que estão se tornando menos confiáveis, o que gera avaliações negativas em portais como o Reclame Aqui.

Como resultado, espera-se que mais consumidores deem preferência por serviços de clique e retire, forçando varejistas e operadoras de foodservice e moda a repensarem suas estratégias omnichannel para acompanhar essa demanda crescente, além de realizar adaptações em seus marketplaces.

Juntamente com essa mentalidade de consumidor em constante evolução para o digital, os varejistas percebem que os serviços de clique e retire atendem a seus interesses mais do que a entrega em domicílio. Custos mais baixos são incorridos em comparação, além do tempo gasto durante o processo de compra. 

Promover com estratégia esses serviços, e até mesmo incentivar esse comportamento com descontos ou pontos de fidelidade, será do interesse de varejistas de distintos mercados.

Personalização preditiva: a importância dos dados

O conceito de fidelidade está em constante movimento  – tanto quanto o que ela significa, como qual será a recompensa por tal lealdade. Os consumidores estão mais experientes digitalmente, levando a expectativa às alturas devido à crescente concorrência. Felizmente, há um maior volume e variedade de dados que as empresas podem usar não apenas para tornarem suas ofertas  mais personalizadas, mas também mais preditivas.

A criação de um ecossistema que oferece mais do que um único produto ou serviço pode ajudar a potencializar a fidelidade e incentivar os consumidores a compartilhar ainda mais seus dados pessoais. Amazon e Alibaba são dois exemplos mais conhecidos de empresas que diversificaram além de suas ofertas principais para criar plataformas que mantêm os consumidores ativos, independente da necessidade do cliente.

Em última análise, os consumidores digitais respondem a marcas que podem promover uma conversa íntima, cultivando uma loja ou site que pareça especialmente projetado apenas para eles. As empresas também devem mudar de estratégias de clientes reativas para estratégias em tempo real e até mesmo preditivas.

Social Commerce: o clique a clique

No varejo brasileiro em 2023 devemos ver muito de Social Commerce sendo potencializado. As projeções indicam um crescimento de cerca de 30% nas vendas globais por estes canais nos próximos cinco anos, segundo a Gartner. Tal tendência se prova concreta uma vez que consumidores acreditam muito mais em outros consumidores do que em publicidades e propagandas das marcas em seus canais tradicionais.

Social commerce, ou Comércio Social, é um subconjunto do e-commerce que envolve o uso de redes sociais, permitindo a interação social onde os usuários auxiliam outros usuários na compra e venda de produtos e serviços online. É a era dos influencers! 

Esta estratégia no setor varejista brasileiro abre muitas possibilidades de desenvolvimento de diversos negócios, a exemplo da integração com as principais redes varejistas, apps que analisam o comportamento do consumidor em tempo real e auxiliam os usuários das redes sociais a descobrirem novos produtos e serviços das marcas.

All Delivery e Retail Tech: o omni products em omni channels

O All Delivery e as Retail Techs também estão em uma crescente de mercado, onde estudos apontam que as grandes varejistas brasileiras estão de olho nas plataformas e serviços ofertados pelas New Retail Techs, startups que oferecem soluções tecnológicas voltadas para o mercado de varejo e consumo. Esses negócios nascem com o objetivo de trazer mais eficiência e produtividade aos varejistas, e toda a cadeia relacionada a esse mercado. 

Uma tendência entre as Retail Techs é justamente o All Delivery, ou seja, a possibilidade de entregar qualquer coisa que o cliente quiser comprar e entregá-lo em tempo recorde. Este conceito foi citado em um relatório do Sebrae que destaca como insight a necessidade das varejistas investirem em boas experiências de entrega, incluindo fatores como agilidade, transparência e personalização nos serviços de delivery.

A Omnicanalidade, estratégia de conteúdo entre canais que as organizações usam para melhorar a experiência dos usuários e conduzir melhores relacionamentos com seu público nos pontos de contato, é um conceito continua forte como projeção de investimento para 2023. O Phygital, união de físico e digital, com certeza veio para ficar e segundo relatório do Sebrae, 84% dos consumidores dizem que a experiência ideal está no ambiente físico e virtual integrados.

O relatório também mostra que as compras presenciais não são mais as preferidas dos consumidores, mas eles não estão dispostos a abrir mão de um formato em favor de outro. Para 39% do público, os canais físico e online são complementares e não concorrentes.

Superapps: microsserviços e inteligência de dados

Os Superapps, front-end de uma plataforma na qual miniaplicativos (ou miniprogramas) podem ser publicados para os usuários ativarem conforme necessário, continuam com força em 2023. Segundo a Gartner, até 2027, mais de 50% da população global serão usuários ativos diários de vários superapps.

Esta tecnologia fornece aos usuários finais (clientes, parceiros ou funcionários, por exemplo) um conjunto de recursos, além de acesso a miniaplicativos criados de forma independente. Um superapp é uma plataforma que oferece experiências consistentes e personalizadas aos usuários. Ou seja, os usuários podem descobrir e ativar seu próprio conjunto de aplicativos, proporcionando uma experiência digital altamente personalizada e contextualizada dentro de um único app.

Um desafio dos varejistas é se tornar ainda mais presente na vida dos seus clientes, sendo que cada dia mais apps disputam lugar no dia a dia das pessoas. Logo, vemos a importância de falar de customer centricity

O Customer Centric vem em linha a todas as tendências apresentadas no presente artigo, mostrando que empresas que colocam seus clientes e suas jornadas no centro, tem lucratividade muito mais alta em comparação às demais empresas. 

Primordial para este conceito é conhecer a fundo os hábitos de consumo e o comportamento dos clientes, sendo necessário cruzar dados de diferentes bases para a rápida tomada de decisão. Vale ressaltar que, para que esse processo tenha êxito, essas bases de dados precisam estar muito bem estruturadas.

Um ponto crucial é que as estratégias de Customer Centric devem ser muito bem planejadas,  nunca esquecendo que o cliente precisa se identificar com a marca, se sentir representado, reconhecido, valorizado e único. Uma maneira de alcançar esse ponto é fazer com que ele seja impactado de forma única, isto é, por meio de campanhas diferenciadas, seja por cores que ele interage mais, por tipos de fontes que o agradam, e obviamente por ofertas que tragam relevância.

O maior desafios dos varejistas brasileiros em 2023

Um grande desafio no setor varejista brasileiro é encontrar um parceiro de tecnologia com know-how e experiência comprovada no mercado para que possa apoiar na evolução digital do setor, transformação digital, entre outros desafios da década. Independente do caso de uso, as indústrias precisam garantir a melhor experiência digital para seus stakeholders, com qualidade assegurada e confiança. Conheça abaixo como a Zappts pode apoiar sua indústria em 2023:

Desenvolvimento de Marketplace e e-commerce

Somos especialistas em integrar as melhores soluções para maximizar o resultado incluindo utilização de plataformas CRM de mercado (como a Salesforce e VTEX), soluções de front-end de prateleira e desenvolvimento puro.

Desenvolvimento de Canais Digitais

Ajudamos instituições do setor de varejo a desenvolver, otimizar e integrar seus canais digitais, potencializando o relacionamento com seus clientes através de experiências digitais memoráveis potencializadas por aplicações omnichannel.

Retail Experience Design

Através dos nossos processos estruturados ajudamos empresas no processo de desenho, criação, desenvolvimento de protótipos e testes para acelerar o processo de desenvolvimento de novas soluções digitais.

Loyalty for Retail

Realizamos o diagnóstico completo e implantação de programas de loyalty usando a tecnologia da iClubs, solução desenvolvida dentro da Zappts.

Integration Tools

Ajudamos empresas varejistas a projetar e aplicar estratégias de API & Middleware com segurança e governança otimizada, garantindo a integração com fornecedores, ecossistemas de parceiros, clientes b2b e comunidades.

Para saber mais sobre estas soluções e garantir um free assessment de 1 hora com nossos consultores, entre em contato clicando aqui.

Sobre a Zappts

Desde 2014 no mercado, a Zappts realiza a aceleração digital de grandes marcas como a Porto, Getnet, BTG Pactual, Cateno, Ambev, Multilaser, Ultragaz, C&A e Burger King, entre outras. Com foco no desenvolvimento de software, especialmente em Front-end, UX Design, Quality Assurance e Gestão de Ambientes Cloud atua no planejamento, gestão e operação de serviços de desenvolvimento de soluções digitais corporativas, gestão de ambientes e transferência de conhecimento por meio da tecnologia da informação. Referência na criação de experiências digitais para os usuários, além de desenvolver soluções inovadoras e rápidas, a empresa atua em modelo 100% remoto, com equipes distribuídas em mais de 18 estados do Brasil.