🏆🤖Clique aqui e participe da pesquisa Panorama da Inteligência Artificial Generativa no Brasil!
MVS is the new MVP: Minimum Viable Service

MVS is the new MVP: Minimum Viable Service

Resolver um problema do seu cliente não é mais suficiente para alavancar resultados sustentáveis para o seu negócio. A tendência no mercado atual é de que o consumidor prefira consumir experiências do que produtos propriamente ditos. O produto não é mais visto como uma atividade fim e sim como uma atividade meio para adquirir uma […]

out 28 , 2022

Início Blog Página Atual
Gestão

Resolver um problema do seu cliente não é mais suficiente para alavancar resultados sustentáveis para o seu negócio. A tendência no mercado atual é de que o consumidor prefira consumir experiências do que produtos propriamente ditos. O produto não é mais visto como uma atividade fim e sim como uma atividade meio para adquirir uma experiência completa. Essa visão significa que a prioridade das empresas tende a oferecer serviços e de que produtos passem a serem avatares, parte dos serviços a serem consumidos.

Do ponto de vista do marketing por exemplo, em produtos temos 4 Ps (produto, preço, promoção e praça), enquanto que o marketing de serviços adiciona mais 3 variáveis no seu mix, sendo: Pessoas, Processos e Palpabilidade (evidências físicas). Você já deve ter ouvido falar e muito provavelmente também ter implementado algum projeto de MVP. O MVP vem de Minimum Viable Product, ou seja, o mínimo que o produto tem a oferecer para viabilizar uma oferta. Pensando que para ter sucesso e fidelização do seu cliente, sua oferta deve expandir e ir além do produto, entrando em cena uma nova metodologia: O MVS! 

O que é MVS? 

MVS vem de Minimum Viable Service. Vamos entender o que significa cada uma das letras?

  • Minimum – Segue a mesma ideia de Mínimo do MVP. É a mínima jornada para garantir uma experiência de valor para seu cliente.
  • Viable – Segue a mesma ideia de Viável do MVP. É a viabilidade da jornada que entrega valor para seu cliente.
  • Service – Representa a economia de serviço – passamos a trabalhar com uma experiência, com a utilização e lembrança de um serviço e não mais um produto que é produzido e vendido.

Como implementar um processo de criação de MVS ?

Você pode mesclar as metodologias de MVS com as metodologias ágeis já existentes em sua empresa. Seguindo uma estrutura cíclica, o MVS pode ser incremental e a cada iteração ir acrescentando mais funcionalidades e consequentemente melhorando a experiência do seu usuário.

O importante é que devemos entender que o MVS possui duas fases fundamentais: Humanização e Cristalização. Cada uma dessas fases compreende uma série de conceitos e metodologias que são aplicáveis para a criação de um MVS. Vamos entender o que é implementado em cada uma delas.

  • Humanização: Nessa fase é feito amplos estudos com o objetivo final de compreender o comportamento, dores e desejos do usuário da sua solução digital. Para isso, o processo de humanização é dividido em duas etapas:
  • Projeção: A fase de projeção trata de entender a fundo o comportamento atual de seu público-alvo e quais as necessidades, expectativas e desejos atuais. É na fase de projeção que buscamos entender como o usuário resolve a dor atual, quais alternativas ele utiliza e se ele tem expectativas de mudança. São metodologias da parte da projeção: pesquisas de campo, entrevistas com possíveis usuários e métodos para traçar qual o perfil do seu público-alvo. 
  • Perspectivas:  Nessa fase reunimos todos os dados coletados na fase de projeção e reunimos todos os stakeholders para extrair o que seria um serviço de valor para o público-alvo mapeado.
  • Cristalização: Com base em todo o conhecimento adquirido na fase de humanização, a fase de cristalização emprega metodologias para criar um protótipo que represente toda a concepção do serviço imaginado. O processo de cristalização também é dividido em duas etapas
  • Playground: Nessa etapa mapeamos quais são os momentos de interação do usuário com o serviço e é proposto soluções para cada uma dessas etapas. A solução pode ser, inclusive, um produto! Perceba como o produto, num contexto de serviço, se encaixa como meio mas a solução final não é tão somente um produto mas uma sequência lógica de interações do usuário que proporcionam uma experiência positiva. 
  • Polir: Essa etapa trata-se de refinar tudo que foi proposto como solução na etapa de playground  e traçar um roadmap para criação de cada uma das etapas dos serviços. Nessa fase entendemos o que são produtos, o que são integrações e quaisquer outras soluções dadas na etapa anterior. Logo, as refinamos para que a implementação de cada etapa seja possível. Se tratando de um produto, essa etapa pode incluir a definição de um MVP também!

Com a prática de MVS, sua empresa explora o máximo potencial do seu produto. Você pode ir muito mais além de um produto e encontrar novos fluxos de receita e novas formas de monetizar a sua plataforma. O MVS é centrado no usuário e a fidelização do usuário te garante um ticket recorrente e aumento de competitividade

MVS em um contexto de inicialização digital

Para pequenas e médias empresas e startups de tecnologia, o uso do MVS pode ser de grande valia no momento de desenhar a solução que será ofertada ao mercado. Nestes caso, devemos inicialmente:

  • Provar que existe um problema.
  • Provar que um público real experimenta esse problema.
  • Evidenciar de que os públicos têm uma solução viável e desejável (por exemplo, por meio de prototipagem, etc.)
  • Construir um MVP para evidenciar que sua solução para o problema está correta.

Exemplos de MVS

Imaginemos um serviço de assinaturas de peças. O time de negócios abstrai o formato produzir/vender de uma peça e transforma numa assinatura, pensando na experiência e fidelização do cliente. Ao invés de realizar uma única venda, o serviço de assinatura aluga peças conforme necessidade e faz o atendimento para troca e manutenção das mesmas.

O benefício, além do ganho de um ticket recorrente devido ao formato de assinatura, está na oportunidade de gerar uma experiência positiva em diversos momentos, havendo interface com o usuário não apenas no momento de compra unitária, mas durante todo o processo de prestação de serviço, gerando assim memórias positivas por parte do usuário, no caso de experiência adaptadas e assertivas.

Benefícios MVS

Determinar ativamente qual é sua solução e testá-la como um Mínimo Serviço de Valor com seus clientes é inestimável.

  • Você pode entrar no mercado de forma rápida, barata e segura, sem perder tempo desnecessário para os concorrentes.
  • Que melhor maneira de construir relacionamento e obter insights do que ter uma relação de trabalho com seu público-alvo.
  • Você será capaz de evoluí-lo com base na experiência e feedback do mundo real. O que os clientes dizem que querem e dizem que vão fazer muitas vezes é bem diferente da realidade.
  • Você terá muito mais insights para usar ao definir e projetar sua tecnologia.

Ficou com alguma dúvida, ou quer saber mais?

A Zappts pode ajudar sua empresa na construção de produtos e serviços digitais que levam em conta o Design de Serviços e desenvolvimento de seu MVS. Desde 2014 a Zappts entrega resultados de negócio por meio de tecnologia, entregando cases de alta relevância usando processos ágeis, boas práticas de desenvolvimento e qualidade de software e uma capacidade ímpar de entender e resolver as dores do dia-a-dia de projetos de desenvolvimento de tecnologia.

Contemplamos soluções para todas as fases do desenvolvimento de soluções digitais, desde os processos de descoberta até a sustentação da solução. Com processos definidos e gestão ágil, nossas entregas são sempre baseadas em alinhamento de expectativa, qualidade e robustez técnica.

Entre em contato clicando aqui, e saiba mais sobre a Zappts.

Continue seus estudos, confira nosso material sobre “Design de Serviços e MVS: Soluções digitais que nascem para fidelizar o seu cliente